segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Vagas lembranças




Se fogem as palavras
Ainda leem-se os mapas
Acredita-se em destino
Porém, a rotina que não cessa
É apenas feita de sonhos
- Quando serão reais? -
Mas de repente tudo ganha cor,
Uma maneira de atrair a Vida.
E com os nossos risos sinceros,
Corações partidos
Ficam para trás.
Posso lhe falar
Que minhas tristes memórias
Já não passam de vagas lembranças.


D.Z

Um comentário:

Edu Lazaro disse...

Se a fluência tivesse rio, correria em seus desejos nas pernas de suas palavras...