quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Soneto (Sem Título)

Todos os dias olho para o céu
Sobre uma noite escura
Vejo o brilho das estrelas
Enchendo meus olhos de coragem

Tenho um grande sonho
Em busca de felicidade
Procurando um grande amor
Para não morrer apagado

Tantos amores que já tive
Um após o outro
E ainda não sei o que é amar

Depois de tudo que já vivi
A única coisa que aprendi
Foi a ser solitário


(Dalton Zabandzala, Set/2011)

Nenhum comentário: